Diretor da FETRANSLOG-NE destaca os benefícios da tecnologia 5G para o transporte

Essa tecnologia representa a nova realidade de armazenamento e transporte de cargas mundial, que já está mudando por completo a forma de fazer logística no mundo.

O presidente em exercício do Setcarce e diretor da Fetranslog Nordeste, Marcelo Maranhão, participou nesta quarta-feira (9), da primeira edição do FIT – Fórum ITL de Inovação do Transporte sobre o tema “Novas tecnologias e conectividade nas rodovias brasileiras”. Dentre os painéis debatidos estavam: “Modernização das rodovias a serviço do setor de transporte”, “Inovações nas rodovias brasileiras – O sistema de livre passagem (free flow)”, e muito mais.

O encontro virtual foi promovido pelo Instituto de Tecnologia e Logística, que integra a Confederação Nacional dos Transportes, que é presidida pelo empresário Vander Costa. Participaram do evento nomes de grande relevância como o ministro da

Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes; Marcelo Sampaio, secretário-Executivo do Ministério da Infraestrutura; Marcello da Costa, secretário Nacional de Transportes Terrestres; Artur Coimbra, secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações; Rafael Vitale Rodrigues, diretor-geral da ANTT, dentre outros.

Segundo Maranhão, a questão do 5G é irreversível no setor de transportes, não só rodoviário, como também em todos os outros modais. Essa tecnologia representa a nova realidade de armazenamento e transporte de cargas mundial, que já está mudando por completo a forma de fazer logística no mundo. E o Ceará será um dos primeiros estados a usufruir dessa nova tecnologia. “O Estado já está com toda a infraestrutura pronta para receber o 5G e ainda este ano deveremos ter o início da sua implantação”, afirmou.

Prevenção

Ele destacou que haverá grandes ganhos, como na segurança, prevenindo o roubo de cargas. Também na questão de informação em tempo real sobre a situação das rodovias em nível de conservação, condições meteorológicas, uma tecnologia já embarcada em muitos caminhões, facilitando o trabalho. O rastreamento e a telemetria, que possibilitarão monitorar, em tempo real, se o condutor do veículo está em alta velocidade, se vem dando freadas bruscas,

“Temos uma tecnologia embarcada nos caminhões que analisa por meio de leitura facial, como está o motorista, se está sonolento, agitado ou indicando uma situação diferente do padrão, em tempo real. Com o Documento de Transporte Eletrônico (DTE), que está sendo implantado, teremos todas as informações do motorista, do caminhão, do embarcador, do destinatário e da carga, também em tempo real. O que evita a necessidade de parada em postos fiscais. Isso só acontecerá se houver alguma irregularidade num desses itens. Com isso, se ganha tempo, se reduz custos, tanto para o fisco quanto para o transportador”, lembrou o empresário.

Com todos esses dados a Polícia Rodoviária Federal poderá monitorar como está a jornada de trabalho dos motoristas, se estão cumprindo jornadas excessivas, o que se refletirá em mais segurança para quem trafega nas estradas. Velocidade de deslocamento no trecho, documentação do motorista e do caminhão, se a carga é compatível com o veículo, tudo isso sem a necessidade de parar o veículo.

“O uso de todas essas tecnologias trará uma série de benefícios para o dia a dia das pessoas e das empresas, que nos próximos anos deverá se reverter nos caminhões autônomos, que interagem com a rodovia e vão gerar ainda mais segurança para o tráfego. Isso é algo que já está bastante avançado no exterior, e num futuro não muito distante, deverá estar disponível também no Brasil”, completou Marcelo Maranhão.

Fonte: Portalin

Este conteúdo é útil para você?