REDUÇÃO DO BIODIESEL NO DIESEL: ENTENDA OS IMPACTOS
Com a redução de 50% do biodiesel ao óleo diesel, expectativa seria de uma economia no preço final do produto

A Petrobrás anunciou o quinto aumento do diesel nas refinarias somente neste ano. As sucessivas altas já refletem o valor nas bombas e entraram na pauta de reivindicações dos caminhoneiros que ameaçaram uma greve no começo de fevereiro.

Para conter a inflação no preço do combustível, o presidente Jair Bolsonaro prometeu zerar os impostos federais que incidem sobre o produto. E, agora, surgiu uma outra possível solução que ajudaria a baixar, pelo menos um pouco, o valor do diesel.

Um estudo divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) concluiu que se houver uma redução de 50% da mistura de biodiesel ao óleo diesel comercializado no Brasil, haveria alívio imediato sobre o preço nas bombas. Isso porque o óleo vegetal tem um peso importante na composição do preço do produto final.

No valor são considerados impostos, preço da refinadora, margem de lucro e também a aquisição do biodiesel. De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural de Biocombustíveis (ANP), o biodiesel responde por 13% do preço do diesel S10 e 12,4% do S500. Contudo, a maior parcela ainda é a do diesel, que representa aproximadamente 50%.

Na Europa o valor do biodiesel é de 7% e no Japão, 5%. Nos Estados Unidos, no entanto, o percentual varia de 6% a 20%.

Conforme a projeção da CNT, se a mistura de biodiesel caísse a 7%, o preço do diesel recuaria 4,1% ante o nível atual. Caso a mistura fosse reduzida para 6%, o recuo no preço do diesel seria de 4,8%.

Gestão é a solução

Assessor técnico da Associação Nacional do Transporte & Logística (NTC&Logística), Lauro Valdivia explicou ao Estradão que mesmo representando apenas 13% na composição do diesel, o biodiesel encarece bastante o valor final. Mas ele adverte que para surtir efeitos significativos para trazer economia teria que ser em percentual muito maior. “Para o transportador reduzir o preço do diesel não resolve o problema”, diz.

Conforme explica o assessor técnico, quando cai o preço, o valor do frete também é reduzido. Por isso, havendo ou não a inflação no valor do combustível, o mais recomendado é focar mais em uma boa gestão. “Há empresas, por exemplo, que nem controle de consumo tem. Se você pergunta qual é a média que um caminhão faz por litro não vai saber responde.”

Com o preço do diesel nas alturas, essa planilha de controle é ainda mais necessária. Além disso, uma boa forma de economizar, de acordo com ele, seria fazer o máximo possível de frete de retorno para aproveitar melhor o diesel.

Melhor para o motor

A redução de 50% do biodiesel ao diesel também seria benéfica ao motor. Diretor da Unidade de Negócios de Motores e Geradores da MWM, fabricante independente, diz que a redução do percentual de biodiesel sobre o diesel mineral não encontra qualquer restrição técnica para motores diesel e veículos comerciais.

“Muito pelo contrário. Acaba aumentando a estabilidade do combustível à temperatura e oxidação, em função da redução da carga orgânica”, comenta.

De acordo com ele, essa redução também faz com que os motores fiquem menos suscetíveis à contaminação dos sistemas de injeção e combustão, bem como do sistema de pós-tratamento dos gases de escape.

 

Fonte: Estradão